Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

21 de abril de 2007

I'm glad we found each other




"I'm glad you're my friend" - Sam Brown





"No princípio era o Acaso. Todas as coisas foram feitas pelo Acaso, e sem ele nada do que foi feito se fez". - O Homem dos Dados


"Grande parte do que começa como arbitrário torna-se essencial". - O Drama da Vida Cotidiana


Somos mais um fruto da arbitrariedade, do Acaso.

18 comentários:

Anônimo disse...

Será um acaso da vida tudo o que está acontecendo com todos?
As vidas estão balançadas e desorientadas.
Pedem-me socorro, e eu não sei mais como ajudar já que estou passando pelos mesmos problemas, e não consigo resolvê-los da mesma forma.
Mas isso tudo me coroe por dentro me deixa desesperado e aflito.
Eu quero ajudar e preciso.
Tudo na vida tem um sentido, um propósito.

*tor* disse...

Quando se tem um problema, tudo e qualquer coisa se torna um também.
Antes de ajudar, se ajude, depois...me ajude.

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

"Existem dois caminhos: você usa o Dado, ou deixa o Dado usar você"


Tudo acontece por acaso.

*Serendipity

*tor* disse...

wonderlandinho tá crescendo!
=]

Anônimo disse...

Meus problemas são comuns, não há pessoa alguma que consiga escapar deles.
Concordo com a moça sobre os dados... No meu caso aprendi a usá-los, muito difícil, mas possível.
*tor* creio que tanta aspereza não seja necessária para com minha pessoa, só estou tentando compartilhar de meus pensamentos e experiências. Just this!

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

Se você usa os dados, não acredita em destino. Você se contradiz.

E a aspereza vem pela sua falta de coragem - sim, coragem - de se expor. Pois não é um nome que será fator influenciador para eu concordar/discordar. Vejo os fatos e falas pelos fatos e falas, não por quem faz ou fala.

O contexto só irá deturpar os nossos conceitos de Acaso.

*tor* disse...

Aspereza?

é realmente eu desacredito do ser humano!
quer compartilhar pensamentos e experiências então faça isso direito!você fala muito sobre coragem, cadê ela em você na hora de se mostrar na frente dos outros. você é como muitos, fala coisas bonitas, incentiva as pessoas a fazerem o que você acha ser certo, mas onde está você na hora de revelar seu próprio ser??? Está escondido atrás de um ANÔNIMO!

Damn Rabbit disse...

ás vezes a identidade não é o importante aqui.

*tor* disse...

Nesse caso específico, acredito ser sim Yu.
Falar e falar e falar e dar conselhos...estou lendo conselhos de quem?
Acredito que ele(a) os ponha para que possamos aceitá-los e segui-los. Seguirei conselhos de um anônimo?
É estranho isso!

*tor* disse...

E acho que aqui é o lugar onde podemos ser verdadeiros sem medos.
O lugar onde a gente pode mostrar quem realmente é.
Ser anônimo não me parece ser a intenção disso!

Anônimo disse...

Minha intenção é de ser totalmente verdadeiro, mas acredito ñ precisar de um nome para que isso seja necessário.
Eu poderia me chamar José, João, Maria, que não faria diferença!!

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

É, vai ver identidade não importa mesmo. Estas opiniões e "conselhos" não me servem. São simples palavras sem contexto, sem origem e sem fim. São comuns, que uma velhinha estranha já me disse no ônibus.

Fossem conselhos ditos pelo meu melhor amigo, minha mãe ou você, estranho, não caberiam na minha vida.

E se você está mesmo querendo ser somente verdadeiro, seja verdadeiro! Seja você. E assuma que na realidade só quis portar-se como anônimo por medo.

E quer saber? Seus conselhos me cansaram já. Sua vagas palavras, suas respostas comuns, seus conselhos banais.

Surpreenda-me com algo interessante ou te ignorarei então.

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

É, vai ver identidade não importa mesmo. Estas opiniões e "conselhos" não me servem. São simples palavras sem contexto, sem origem e sem fim. São comuns, que uma velhinha estranha já me disse no ônibus.

Fossem conselhos ditos pelo meu melhor amigo, minha mãe ou você, estranho, não caberiam na minha vida.

E se você está mesmo querendo ser somente verdadeiro, seja verdadeiro! Seja você. E assuma que na realidade só quis portar-se como anônimo por medo.

E quer saber? Seus conselhos me cansaram já. Sua vagas palavras, suas respostas comuns, seus conselhos banais.

Surpreenda-me com algo interessante ou te ignorarei então.

Anônimo disse...

Não serveriam se fossem ditos para o mal. Há contexto só não um título.
Medo? Não é medo, é um jogo!

Uma pessoa real
com pensamentos reais
com idéias sureais
com vontades apagadas
Uma pessoa existente
com atos inesperientes
com uma vida conturbada!

Eu sou você, sou ele, sou ela... tenho um pouco de todos. Eu sou vocês só que inconcientemente!

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

jogo? você me garante, de verdade como você se diz ser, que se eu acertar quem você é, você se revela?

mas palavra é palavra.
seja verdadeiro e assuma meu acerto
(caso eu acerte).

*tor* disse...

Você jamais será eu ou igual a mim.
Não tenho as mesmas idéias, não penso como se estivesse seguindo um livro de auto ajuda e principalmente, tenho a capacidade de me revelar para qualquer um quando se fala em defender uma opinião.
Algo que você, não faz. Então por favor, não venha me dizer que você é todos nós 'inconcientemente'(meu deus!)

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

e nisso, minha homenagem ao meu amigo se perdeu pelo toque dissoante de um anônimo...

*tor* disse...

Sua mensagem ao seu amigo não será esquecida querida!
Assim como todas suas outras palavras.