Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

2 de maio de 2007

Meu Gato Preto

"Há qualquer coisa no amor sem egoísmo e abnegado de um animal que atinge diretamente o coração de quem tem tido freqüentes ocasiões de experimentar a amizade mesquinha e a fidelidade frágil do simples Homem", “O Gato Preto” de Edgar Allan Poe. Não há outra frase que transforme meus sentimentos em palavras.
Seriam a amizade mesquinha e a fidelidade frágil erros do homem? Afinal, errar é humano. Mas quem ainda compra essa mentira? “Errar é humano” é só mais uma das milhões de formas que ele tem de se exumar da culpa, se exumar das conseqüências de seus atos. O destino foi criado para que o homem banal não se responsabilize por sua vida. “Há algo guardado para você no futuro, não se preocupe”, “tenha fé que tudo terminará bem”, “Ele tem grandes coisas reservadas para você”. Simples é soltar as mãos e deixar que alguém te guie. Difícil é escolher.
Animais não erram, pois decidem suas ações. Não deixam o destino levá-los até seu futuro. Animais são realmente capazes de amar de maneira abnegada e sem egoísmo, um amor incondicional. É o mais puro, sincero e verdadeiro que há. E é isto que buscamos nos humanos, a capacidade de amar de tal modo; buscamos a animalidade, a perda da consciência e o simples amar por amar.
Foi esta animalidade que me tornou capaz de amar incondicionalmente. Eu a amo não por me amar, mas por ser como é. Ser a vira-lata abandonada, ignorada por ser feia, sem raça, a que nega um carinho, que vira a cara quando um beijo ou uma mão se aproxima. Aquela que é egoísta, anti-social, interesseira e falsa.
Quem haveria de querer um cão assim?
Pois é, eu. Quem ama, ama cada defeito. Até mais que cada qualidade, pois as qualidades são fácies de serem admiradas.
Hoje, vislumbro a possibilidade de perdê-la após curtos 11 anos. Os tumores em suas tetas cresceram e uma cirurgia agora se faz necessária. E ainda assim, amo suas tetas, mesmo com os tumores. Amo se não mais as tiver, amo magra, amo gorda, amo presente ou ausente.
Porém, ainda não estou pronta. Não estou pronta.

***

Amanhã é a cirurgia. Estou com medo.

5 comentários:

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

sorrisos falsos ainda por vir

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

não sei fazer história com final feliz

Cow disse...

Isso vc nao me contou por email!
Vc sabe q nao tenho mtas energias positivas mas,hj tou mandando pra vc o pouquinho que tenho!
Forca linda!!Pq se eu digo “tenha fé que tudo terminará bem”, vc me soca hahaha
Te amo e te ligo amanha pra ouvir a sua voz!

*tor* disse...

e pq vc n me contou isso???
passei pela msm situação e td q eu mais qria agr era falar com vc!
hj vc receberá um telefonema de alguém q já te adora mtu, q sente saudade e q precisa de vc.
hey "td vai acabar bem!"
se n p vc, p ela sim. disso eu tenho ctz.

=*

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

a cirurgia foi bem e agora ela tá aqui comigo em casa.

mas tô com o coração partido de ver ela assim.

esses dias vão ser difícies...

que meus olhos agüentem!