Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

2 de abril de 2011

Estrela de cadente


Observar a noite da cidade nessa varanda sozinho me acalma. As nuvens e luzes me lembram a Noite Estrelada, de Van Gogh, enquanto a fumaça sai da minha boca. Aqui do alto eu sinto o vento frio arrepiando meus pelos e esfriando minhas lágrimas, mas eu não quero sair daqui. Na verdade, eu nem tenho aonde ir. Fico.

Luzes que se comunicam dizendo que há vida em movimento, até tudo se apagar, sobrando só a iluminação da rua e eu, inertes, inofensivos... A diferença é que ela brilha independente do humor, como as estrelas vulgares que vagam no céu. Enquanto eu me misturo às sombras, que dançam as músicas inaldíveis da noite.


Eu não sei expressar como estou por dentro, como bate apertado o coração. Essa fruta que apodrece a cada dia, sendo mordida por todos os lados, fazendo o estômago doer, o corpo regurgitar. Eles todos roubaram minha mágica, mas eu insisto em querer voar.


Mergulho na noite mesmo que meu céu seja o chão.

3 comentários:

Milla Pupo disse...

Vc também brilha independentemente do humor, só que algumas vezes, é preciso uma luz negra para ver ;)


"Mergulho na noite mesmo que meu céu seja o chão."

Sempre, né? o chão nunca decepciona, sempre ali.

Au Revoir disse...

Não esperei esse texto ser bonito (sentimentalmente falando) e foi.

Au Revoir disse...

Não esperava que esse texto fosse bonito (sentimentalmente falando) e foi.