Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

15 de maio de 2006

Se

Quando vemos as coisas com nossos próprios olhos, as cores mudam, coisas aparecem, outras somem, a razão vem ou vai. O que digo agora pode não ser o que ocorrerá se estes fatos um dia se tornarem verdadeiros.

Se meu filho estuprasse, pagaria. Mas não o mandaria pra prisão. Se outros estupradores estão aí à solta, porque justamento o meu filho deveria ser exemplo e ser preso? Ele pagaria aos meus modos, os quais não acho que poderia especificar, pois minha decepção é que ditaria a pena.

Se minha filha fosse estuprada, faria de tudo pra que ela superasse o trauma. Muito provável que o agressor não fosse pego, então este conforto eu não poderia oferecer a minha filha. Mas isso não quer dizer que não faria de todo o possível que a minha raiva do momento não quisesse fazer. Pode parecer uma contradição em relação ao que aleguei sobre meu filho, mas creio que fariam de tudo pra pegá-lo também, e eu o protegeria (se achasse correto, pois se o meu filho merecesse, deixaria ser preso).

Agora, se eu fosse a vítima, levaria um tempo pra me recuperar. Acho que eu ficaria bem traumatizada, com medo de ser tocada novamente, medo de contar aos outros, medo de andar na rua, estar sozinha. Isto é, meus atuais medos seriam aumentados. Possivelmente eu entraria em depressão, ou não... ou quisesse lutar contra isso. De repente a ativista latente em mim se tornaria viva. Com certeza sairia aconselhando a todos (a psicóloga latente em mim se pronuncia).

Só sei que ando [no sentindo "com os pés" da palavra] com medo. Nunca me aconteceu nada nem remotamente parecido, mas meu medo é maior que eu. E isso me dá medo. Sou louca, ando mais precavida ainda quando meu período fértil está perto. Sou absurda. Tenho vergonha disso.

***

O que você faria se sua filha fosse estuprada?
Se seu filho estuprasse?
Se você, numa onda de ódio, álcool e drogas, recaísse na violentação sexual?

3 comentários:

.H.deLata. disse...

A late april day and it's sunny outside
And a red little girl's at the top of a slide
And an an orange old man at the bottom
Wants to take her for a ride
As she slips and she tumbles the orange man mumbles
Pennies crash down from the sky
And he tells her he'll take her away where it's safe
And of course it is a lie
She's a third the down and her skirts are yanked up
And her little girl cheeks start to wrinkle
But her smile is wide and her legs are spread wider
Her hair growing long and her hips getting larger
Past getting brighter
Light growing weaker....
She is halfway down now but the man is impatient
Shakes change in his pocket he might have to wait but she's coming...
She's coming...

Who are you blaming?
They're just playing!
That's a good one...
Who left the playground
A good decade before the bell rang?

As she starts to draw nearer the view becomes clearer
The splinters are painful but she doesn't feel it
The pennies were loaded and as they exploded
She starts to spin out of control...
Her eyes are now closing her sleeves are unrolling
Up past her head and her veins are all showing
Not that she noticed she's thoroughly focused on
One old man who's laughing...
Who's laughing....
Dont' worry
I've got you
Don't worry
I've got you

The orangeman got you.....

(Dresden Dolls - Slide)

Alice, in hopes of finding that damn rabbit disse...

violentar menininhas é coisa do passado. Sr. Osterflood quer agora dar amor aos menininhos. Amor, não violência. Meninos são menos medrosos, é mais fácil de se aproximar. Siga o conselho de Sr. O.

Alice, in hopes of finding that damn rabbit disse...

why have i been left alone?