Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

2 de maio de 2006

Daqui pra cá é Alice, daqui pra lá é Alice - nada mudou?

Acorda, abre o olho, pisa no chão, escorrega no tapete, bate a espinha na mesinha sólida de madeira e para sempre paraplégico.

Num dia de chuva, correndo na calçada e tentando não escorregar, desvia de um cão perdido e molhado, [espirro canino], pequena pausa, vira, olha para trás, o cão ainda lá, compaixão, ambos quentes no novo lar e para sempre amigos.

Andando na rua, ouvindo seus pés amassando as folhas secas, vento no rosto, olha o céu escurecendo, folhas quebram e não pelos seus pés, um homem a puxa para trás do muro escuro e para sempre vítima de estupro.

Almoçando, sozinho, num lugar lotado e sem mesas, moça bonita, sozinha, não tem onde sentar, puxa a cadeira a sua frente, soriso de "não, não está ocupado", "mas como está lotado hoje" e o velho "você vem sempre aqui?" e para sempre apaixonados.

Raquítica num buraco ensopado, sem futuro, a não ser a morte, levada até o abrigo pelos dentes e pelo amor de mãe, levada até um enorme coração, levada até um lar e para sempre meu amor.

Dia normal, nada mudou, nada importante, nada para se esperar, tudo normal, porém tudo vai mudar, nada mais será o mesmo, prioridades serão alteradas, tudo por algo na cabeça, mas não é alegria, é dor e para sempre dor.

Após longos anos de dedicação, todos levando a apenas uma direção, chega o dia, chega o não, chega o desespero, a tristeza, lágrimas e lágrimas, chega o fim de tudo em que se acreditava, o fim da crença em si, a desistência, chega a luz, chega o amigo, chegam as mãos que te levantam e para sempre te ajudarão?

***

Meus divisores de água, apenas os três últimos. Descubra o que são. Explicações depois.
Quais são os seus?

***

Desculpe a ausência, estava voando, vendo as coisas de cima, longe de tudo para não ser tocada.

As pessoas são tão complicadas, tão falsas. E eu, usada? Tenho tanto valor, sou a melhor amiga que alguém pode ter, isso eu acho mesmo. Uma das poucas vezes que me orgulho do que sou. Mas ninguém é como eu, então não podem me dar valor por ser única?

Por que ainda carrego minhas dores passadas? Quero esquecer!!! Já aprendi que é sempre assim, sempre será, eu sei! Por que então eu não continuo? Muito peso, eu sei... minhas dores pesam e são muitas. Não consigo curar nenhuma e quem deve curar também não cura.

Estou só? Não sei, não sei!!! É o passado que voltou pra me assombrar...

Ele deixou tudo tão escuro, tão confuso... tenho medo do escuro, do que não vejo. Sou cega, logo sofro.

Dúvidas e dúvidas, confusão, tristeza, desespero, MEDO... por favor não. Chega.

***

"Push me down, I don't care, I'm as light as air" - meu grito de liberdade... quando será ouvido?

5 comentários:

Alice, in hopes of finding that damn rabbit disse...

não gosto de postar quando estou mal, não sei se fica verdadeiro, ou realmente cego...
hunf







que saco

.H.deLata. disse...

ponto de equilíbrio... esse é o segredo

Alice, in hopes of finding that damn rabbit disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Alice, in hopes of finding that damn rabbit disse...

dãh... falei merda e apaguei o comentário que eu tinha feito

me ignora!

.H.deLata. disse...

"Can't make myself heard, no matter how hard I scream" (Portishead - Biscuit)