Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

6 de dezembro de 2006

(Ainda) Não sou o meu cabelo

Terça fui cortar meu cabelo, contra a vontade de todos, exceto a minha própria. Fui nervosa e ansiosa, porque ele estava muito bonito nos últimos dias, comportado e ajeitado. Mas não agüentava mais o meu cabelo comum, quase longo, igual ao de todas essas garotas vãs dessa geração. Cabelos longos aqui, cabelos longos ali. Todas têm cabelos longos. Todos preferem cabelos longos. Eu não suporto meus cabelos longos.

Meu cabelo é o que eu quero ser. Meus desejos, minhas vontades e meus sonhos são projetados nele. São eles que o alimentam, o fazem brilhante, luminoso. Bonito. Luto todos os dias para ser cada vez mais como ele, ser contra a ditadura da beleza que assombra nossas vidas. Quero ele curto! Quero ele independente! Quero ele maleável!

Porém estou longe de ser o meu cabelo. Por mais que eu siga em frente e o deixe como eu quero, curto e arrepiado (e ainda lindo), eu não sou o meu cabelo. Ainda anseio pela aprovação dos outros, anseio pelo elogio de quem eu quero que goste de mim. Olhando-me no espelho hoje, brincando com meus curtíssimos fios e achando um máximo ter conseguido o que eu queria, me peguei pensando: “Será que ele vai gostar?”.

Ah, todos meus ideais afundaram como uma bola de canhão! Como pude pensar isso? Que se dane o que pensem! Por isso você cortou seu cabelo, sua tola! Por tantas vezes ouvir “mas ele tá lindo assim”, por tantas vezes sentir a inveja dos outros, por tantas vezes ouvir a indignação da cabeleireira ao suspirar “por que não deixa seu cabelo crescer? Ele ia ficar tão lindo...” e com pesar, passar a navalha.

Procuro me desprender do que não me faz bem, dos pesos desnecessários da vida, do que me segura no passado. Vou mudar, seguir pra frente, ser diferente. Estou me livrando dos pesos da cabeça, quem sabe agora consigo ser como meu cabelo: leve e casual.

3 comentários:

.H.deLata. disse...

vc ganhou mais do que um corte de cabelo, ganhou meu sorriso orgulhoso no final desse texto! =D

Alice, in hopes of finding that damn rabbit disse...

falar, escrever e agir é fácil
sentir é uma batalha


que estou perdendo

Siena disse...

Vc escreve muito bem!!!
Me deu até vontade de cortar meu cabelo!Só q não tenho tanta coragem quanto vc, prefiro ser como todas as outras meninas e ter o cabelo longo e covarde.

;]