Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

24 de fevereiro de 2010

Helgoland

Leio dicionários, ouço e assisto filmes com legendas em alemão procurando palavras para te impressionar. Ouço a sonoridade do sotaque e perco horas dizendo coisas que nem sei o que significam. Nur dich zu beeindrucken. Capturo memórias no mais profundo vazio de nossas mentes. Rezo pela chuva às margens do fluss Elbe, umedecendo o rosto e sujando os pés em Cuxhaven, querendo chegar ao outro lado.

Eu não sei por que vim parar aqui, se suas pegadas foram apagadas pelas areias. As gotas chovem rápidas e ferozes contra as rochas, corações e asas começam a bater. A floresta invisível que todos parecem acreditar faz minha visão retroceder. Nada disso te trará de volta. Ich bin gefallen. Depois do nosso beijo no topo de Babel, enquanto você descia as escadas em direção à escuridão.

Está tão frio aqui e me sinto tão desprotegido. Você separou o átomo e acreditou em seus olhos quando eles a enganaram. Prometeu que nunca me deixaria pra baixo. Ich bin gefallen. É difícil crer que seu amor existe quando não sei onde está. Garota eu te amo, mas seu amor foi embora pra sempre. Für immer.

Eu marcho em direção à vida, na sua busca, às margens do Elbe, tentando atravessar. Eu destruí a jaula no meu peito, mas meu coração não voou, enquanto me perdia na floresta invisível noite passada. Eu sei o que fazer, ainda tenho células para queimar. O tempo congela nesse solo secreto eu estou vestido para matar nesse espiral mortal de meus pensamentos.

Você mostra sem mostrar e nos dissolve como a neve. O Sol deveria estar comigo, mas minha psique me engana e me deixa perdido sozinho nessa água azul-petróleo que eu não consigo atravessar.

Eu não sou bom no meio da multidão, eu tenho habilidades que não posso contar e vejo coisas que vão me perseguir até o túmulo. Você se queixa pra Lua quando tropeça nas dunas em Helgoland, posso te ouvir. Te ver, no corpo da lâmina. Eu preciso te encontrar, fechar a porta para te enxergar de novo.

Achei que tinha te visto, mas era só o seu sorriso em chamas. Você me amou como uma libélula, como um diabo sem pecado, e voou. Liebe, me pintou e riu de mim, foi o circo paraíso. Você me enche de endorfina, eu precisei desse minuto de correria para chegar até aqui. Precisei de drogas para roubar minhas lágrimas e afundar meus medos enquanto atravessava esse rio. Me perdi na mágica enquanto via em câmera lenta sábado vindo devagar. Enquanto gritava se você me amava, mas não tinha nada lá.

Peixes são como punhais afiados que fazem cortes por dentro do meu corpo. Essa jornada até você tirou todo o homem que havia em mim. Meu coração era grande. Meu sangue vai deslizar em pregos de metal que caem do céu. O ataque massivo até você.

Meus pés estão na argila, minha cabeça está nos ares. Ich habe den Luft noch nicht beherrscht, hast du vergessen? Foi por isso que te perdi pro vento, que me confundiu com nuvens e ilusões infantis. Não tenho o mapa do ar. Eu sou essa guerra que dura trezentos anos dentro de mim. Não há curativos para minha dor.

Porque minha dor é você e jamais te encontrarei em Helgoland, eu sei, meu schatz.


(Eu só quero morrer tentando.)


---
N.A.: Inspirado no novo álbum do Massive Attack.

Um comentário:

Brunna S. disse...

uma delícia de texto.