Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

3 de agosto de 2007

The Beautiful People



Queria um cérebro. E queria para dividi-lo com todos os que não tem. Teria que ser um GRANDE cérebro. As pessoas precisam ter razão*.



Precisamos pensar mais. Pensar. Pensar enlouquece, eu sempre pensei nisso. Mas louco é o que vive cego nessa vida achando que viveu bem. Vive bem aquele que ignora a matéria e o real. As pessoas criaram um bloqueio contra o pensamento. Fazer pensar ofende.



Perguntas que não querem dizer mais do que dúvidas, ofendem. Porque ninguém pára para analisar realmente a questão. Não há tempo, o emocional não permite. E o caos se faz entre os homens. A ignorância cria guerra entre os semelhantes.



Eu queria me lembrar mais e pensar mais nos meus atos. Mas não consigo. Vejo só o que me convém, e é horrível. Penso em tudo. Tento, pelo menos. E é horrível. Pensar é maldição. Pensar alimenta a depressão. E quem vai contradizer? Schopenhauer, Nietzsche, Virginia ou Clarisse? Pensar não enlouquece, de maneira alguma. Viver enlouquece. Pensar deprime.
Hoje em dia todo mundo já nasce morto!






Beth Gibbons era a trilha sonora. O ônibus quase lotado permitia que eu enxergasse a maioria dos rostos, e eles, a mim. Rostos tristes que me ignoravam.

Enquanto Beth se desmanchava em meus ouvidos, percebi a morbidez no semblante de uma garota. E como me senti a vontade olhando-a. Parecia tão verdadeira. Me encantava tanta melancolia e sinceridade. Então, me entreguei àquele olhar evasivo, até ela fazer do balançar do ônibus, seu berço. Suas pálpebras fizeram-se cortinas que entregaram a infelicidade para o sonhar. Me revoltava todos aqueles olhares de sonhos corrompidos. Eu sentia tudo aquilo e queria ir embora, queria gritar para todos pararem. Pararem de respirar. Eu vejo seus pensamentos através das janelas da alma. E endureço para me enturmar.
Zumbis. É o que somos. É o que sobrou para ser.


Soa como um velho pirata que desistiu e navega sem direção, só por navegar...










E você, tá pensando em quê?








■ substantivo feminino 1 faculdade de raciocinar, de apreender, de compreender, de ponderar, de julgar; a inteligência Ex.: o homem tem o uso da r. 2 raciocínio que conduz à indução ou dedução de algo Ex.: através da r., apreendemos certas relações obscuras 3 capacidade de avaliar com correção, com discernimento; bom senso, juízo

2 comentários:

Alice disse...

"Penso no que sou, lá, onde não penso pensar"

ou

"Penso onde não sou, logo sou onde não penso"

ou

"Penso onde não estou, por isso estou onde penso que não estou....
Não estou onde quer que eu seja o brinquedo dos meus pensamentos;
penso no que sou onde quer que não pense que estou a pensar"

-Lacan [não sei qual é o certo]

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

eu penso que é melhor eu pensar em responder quando eu parar de pensar o que penso agora