Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

5 de agosto de 2007

Foi só [mais] um dia

Estou pensando no que tanto me fez chorar sexta. Sentada no ônibus, voltando daquelas pessoas que em nada combinam comigo, sozinha, eu chorei. Alguma triste frase sussurrada no meu ouvido por Elliott me fez questionar o que é que eu estava fazendo ali. E cada novo verso das músicas trazia aos meus olhos uma nova lágrima, mais salgada que a anterior, mais cheia de dor, percorrendo as imperfeições do meu rosto. Abaixei minha cabeça, limpei a lágrima e olhei ao redor. Várias pessoas de pé e cada uma estava presa dentro de seu próprio mundo. Pessoas feias, reclamando sobre qualquer coisa que as incomodasse no momento. Ninguém me viu chorar. Ninguém olhava para mim, ninguém notou. Ninguém se importou. Então por que impedir uma nova lágrima? Chorei mais e mais.

Pensava em todos os possíveis conflitos do mundo. Chorei por mim e por todos. Chorei por ser invisível. Chorei por ser visível, mas não como realmente sou. Chorei por não conseguir ficar feliz por ser visível; por que tudo tem que ser do jeito que eu quero? Chorei por ser incapaz.

Quando chegou o ponto da minha descida, desci e chorei, alto. Soluçava sem controle. Quando cruzava caminhos com estranhos, eles me olhavam, obrigando-me a ser feliz. Mas eu escorria minha tristeza pela minha face, pelo meu sorriso, e os estranhos desviaram os olhares. Menos um. Este insistiu em encarar os meus olhos molhados e, inconvenientemente, passar uma cantada. É tão difícil distinguir um sorriso de um choro?

E a experiência me diz que as coisas não teriam sido tão diferentes assim em outros ambientes. Mas não pode ser assim. As pessoas estão felizes, quando eu vou parar de chorar? Choro pela mesma coisa há anos: por estar só. É nisso que penso, sempre. E entristeço as pessoas por me achar sozinha, pois não faço juz a elas. Mas se tenho tantos queridos e queridas, por que ainda me sinto tão só?

Mas é tão mais complicado do que isso...

***

Mas isso foi só um dia. É injusto eu chorar quando estou feliz.
E no final das contas, acho que estou feliz, mesmo chorando.

2 comentários:

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

eu menti

[Yu] disse...

por que você não diz as verdades esgasgadas aí? >=(