Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

26 de agosto de 2007

Where Did You Sleep Last Night?

Era um dia como outro qualquer. Havíamos nos encontrado como de costume. "Nossa, como você está diferente. Nunca vi essas roupas, nem estes tênis". Estava muito calor, então fomos beber alguma coisa. "De calças Yu? Nesse calor? Você nunca usa calça". Eu já tinha tudo em mente, pobre Alice. Na primeira distração, algo se dissolvia e se misturava junto a seu suco.


"Está muito calor". É. "Acho que não estou me sentindo muito bem". E...? "Pára Yu, eu tô falando sér...". Pronto. Levo-a desmaiada para casa. As pessoas no ônibus olham estranho, "É o calor", um sorriso, e pronto. Chegamos finalmente em sua casa. Eu sei que não haveria ninguém por um booom tempo. As chaves Alice, vamos! Não me atrase. Ah é, você não pode. Deixa comigo. Entro resmungando que tenho que fazer tudo sozinho enquanto te solto no sofá. Ainda bem que você é leve.


Pego algo para beber, te carrego para o porão. Levo um aparelho de som e sua coleção do Nirvana. Ninguém vai gostar de ouvir nossa conversa. Cubro o chão com toalhas, tiro suas roupas e te amarro deixando teu corpo formar um X.
Era isso que tinha na minha mochila e disse que depois eu te mostrava. As luzes. Os interruptores se escondem de mim na sua casa, não é possível. Pronto, achei. Acendo um cigarro e espero você acordar. Estou tão nervoso.


Música. "I wish I was like you. Easily amused. Find my nest of salt. Everything is my fault. I'll take all the blame. Aqua seafoam shame. Sunburn with freezer. Burn. Choking on the ashes of her enemy". Bom-dia flor do dia. Não adianta tentar se soltar e muito menos chorar. E é, você está nua. Como se mulher ouvisse alguma coisa do que dizemos. Enquanto ela está em choque tentando se soltar e vermelha de tanto chorar, eu subo para comer alguma coisa.


Você deve ter muitas perguntas, minha amiga. Eu sei, e vou respondê-las conforme você responde as minhas. Temos muito o que conversar. Você deveria ter aproveitado mais seus dias. Deveria ter sugado mais as pessoas e se aproveitado mais das oportunidades. Você teve tantas. E quase não viveu nenhuma. Uma pena. Uma vida tão boa quanto a sua, numa pessoa tão competente como você, acabar assim? Ora Alice, pare de chorar. Controle-se. Você sempre foi tão controlada.


["I won't move away from here. You won't be afraid of fear. No thought was put into this. Always knew it would come to this. Things have never been so swell. I have never failed to fail. pain. You know you're right."]


Minha real intenção era a de criar um jigsaw e te dar a chance de sair viva disso. Mas não fui capaz de criar nada tão, tão... como se diz... engenhoso. Não era essa a palavra, mas não me lembro agora. Bom, foda-se. E você ainda tenta esconder sua vergonha. Isso é surreal, minha querida. Permita-se, deixe fluir. Sua inspiração e expiração são sempre as últimas agora.


Deito a seu lado enquanto a acalmo. Ela está bem melhor, já aceita melhor a situação. Passeio minhas mãos por seu corpo e ela consente comigo. Por medo, talvez. Por aceitar as coisas como são, não sei. Não sei. Não a conheci o suficiente para dizer o que se passa em sua cabeça numa hora dessas. Acho que nem ela sabia ou se conhecia o suficiente para saber sobre ela mesma. E como vamos saber? Não sei. Encosto em sua virginidade, ela se assusta. Calma, Lice. Não posso deixar você morrer sem conhecer a dádiva do sexo. "Hate me do it and do it again. Waste me, Rape me my friend. Im not the only one."


Está com fome? Não? Hm, não foi tão ruim assim, não é mesmo?! Tá, agora che"EU NÃO MEREÇO TUDO ISSO!". É verdade, minha amiga, você não merece mesmo. E antes de você me interromper, era exatamente o que eu ia dizer. Já chega. Quero suas últimas palavras. Cubro suas doces últimas palavras e cheiros com formol.


Desligo o rádio.


Choro. Choro porque te adoro. E não sei por quê comecei. Mas agora já não tem mais volta. Estou arrependido, e vou ficar sozinho. Mas não tem mais volta. E vou ficar sozinho. Minhas lágrimas são substituídas por sangue. O seu sangue. Abro seu busto na busca do seu coração. Ele não te pertence mais. Arranco seus membros um a um. Braços que se despedem, acenam. Pernas que chutam, joelhos que doem. E assim você morre. E assim você é livre.


Espero você secar, já que não sei costurar. Iria me adiantar muito. Embrulho seus membros em plástico bolha, jornal, toalha, o que tiver. Depois, saco plástico preto. Onde você guarda isso? Eu não trouxe, esqueci. Deveria ter te perguntado antes. Limpo o chão. Te dou um beijo e ali te deixo. Ali você jazida até te encontrarem. Minha amiga, minha doce Alice.


Me despeço cantarolando até a saída. "My girl, my girl, don't lie to me. Tell me where did you sleep last night. In the pines, in the pines. Where the sun don't ever shine. I would shiver the whole night through. My girl, my girl, where will you go..."

6 comentários:

• YuЯi KiddO • disse...

to postando agora, 12h34. Tirando meia hora que estava no telefone, fiquei desde às 10h13 no texto. O.o

menininha difícil de matar viu!!!

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

posso dizer que esse texto foi uma das coisas mais estranhas de ler que já li na minha vida

[Yu] disse...

isso eh bom?

Alice, in hopes of finding that Damn Rabbit disse...

claro que é

Lígia Ruy disse...

aiii que medo!

beijo Yuri

Talita disse...

o que eu posso dizer?!

que eu gostei bem mais da sua morte, yuri. sabe, mais sútil, simples e até bonita.

e que no lugar dela, eu teria medo de você!

mas os dois escrevem de um jeito muito bacana. daquele jeito que a gente começa a ler e quer terminar sem pular partes e tal. =]

bom, parabéns pessoas!
beijos =*