Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

9 de setembro de 2009

Esquecidão

Às vezes eu esqueço que estou vivo. Me esqueço de respirar, de comer, sentir... Às vezes fico tanto tempo sem conversar que esqueço de articular as palavras e fico sem saber como dizer, como se tivesse algo a dizer. São só frases soltas bem ensaiadas para disfarçar minha exclusão. E aos poucos, algumas pessoas próximas vão percebendo que não faço falta. E acabo me convencendo do mesmo.

Você se torna um viciado em drogas por não ter nenhuma motivação forte e verdadeira em qualquer outro sentido. A vantagem é que quando você para de crescer, começa a morrer. E um viciado nunca para de crescer. A maioria dos usuários dão um tempo periodicamente, encolhendo o organismo e substituindo as células dependentes da droga. E fica nesse vai e volta infernal. Meu corpo é infinito até o fim.

Eu sou um enganador, sempre inventando festas e eventos e amigos a fim de querer provar para mim mesmo que isso é verdade. Mal sabem que quando ponho o corpo na rua, a única coisa que me espera é a ponta de uma agulha, um adesivo de ácido, gotas de láudano, pó. E esqueço o quanto dessas situações inventadas são mentiras e verdades. Talvez eu tenha vivido nada disso, mas já me perdi em tantas histórias que acabo acreditando em todas.

E vou me esquecendo de quem eu sou,
quem tu é és
quem nós somos


[Ele eu nem conheço, se conheço, esqueci.]



Um comentário: