Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

19 de fevereiro de 2006

Todas as crianças desaparecem

Ser criança é simples, por isso gosto muito delas. Elas não dão valor ao que têm porque elas só tem aquilo e não sabem o resto, não sabem que não podem voar ou ter super poderes, não sabem que elas não vão ser astronautas nem pilotos de fórmula 1 e nem que se forem policiais ou bombeiros vão ganhar uma miséria. Elas tem mágica. Elas podem ir a qualquer lugar, elas são quem quiserem. Criança é a arte que o adulto tenta imitar.
A pureza e inocência do 'por que?' é doce, as vozes finas acompanhadas daquele sorriso sem dente e os braços miúdos sem força pra destruir. Impagável só chorar quando cair da bicicleta ou quando apanhar porque desenhou na parede, se preocupar com dinheiro só quando a ficha do fliper aumentar o preço, só ficar triste porque ficou de castigo e só. E então o tempo surge sem nos avisar que não tem como voltar. E a medida a qual crescemos, nos tornamos um número, nos tornamos desesperançosos e tristes, e acabamos sendo o que somos

Você já reparou nas crianças desaparecidas nas caixas de leite? No fim, todas as crianças desaparecem...

Um comentário:

Alice, in hopes of finding that damn rabbit disse...

As crianças podem superficialmente desaparecer, mas estão lá, em algum lugar. A minha criança está bem acessível (isso soou um pouco como se eu fosse uma molestadora, mas não sou!!!).