Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

2 de abril de 2006

Flores laranjas repousando sobre o túmulo.

Hoje fui fazer uma visita. Conhecer novas pessoas, aprender com o passado e descobrir experiências de vida são importantes. Dessa vez, eu não estava sozinha. Sou muito tímida para conhecer gente que nunca vi.

O lugar era lindo, muitas árvores, um campo, flores na grama. Silêncio. Tudo o que se ouvia era silêncio. Vasto silêncio. Sem vento, sem pássaros, sem água, sem desarmonia. Também, como seria o silêncio, vazio, desarmônico?

Sol, frio, preto. Mão no bolso. Não, sem mão no bolso; mãos dadas, apertadas, ansiosas. Passos curtos, lentos, nervosos. Reviver momentos antigos não é fácil. Reviver lembranças felizes traz um sorriso ao rosto, porém lágrimas aos olhos. São lembranças felizes, não um presente feliz. É um presente diferente, mais oco. Pior ou melhor? Não se pode saber, mas o imaginado é sempre melhor, alegre e esperançoso. Esperança pelo impossível e imutável. Impotência. É simplesmente o passado.

Chegamos. Aos nossos pés estava ela, aquela que aqui nasceu sorriu chorou viveu sofreu e amou. Aquela que espalhou alegria, que tocou as pessoas. Aquela cujo talento inspirou sua vizinha de descanso.

Dei uma volta, dei espaço para o suspiro. Prestei meus respeitos aos outros habitantes da necrópole. E, claro, organizei as flores. Sim, eram elas as destoantes na imagem. Pela suas quedas, suas cores. Flores laranjas repousando sobre o túmulo.

Respira fundo, mais um tchau (nunca adeus), mãos dadas novamente, lágrimas de saudade, sorriso de orgulho.

***

Fui num terceiro cemitério ontem, dia 1º de abril. Seria aniversário de 50 anos da melhor amiga de minha mãe, então fomos colocar uma flor para ela. Essa amiga era uma escritora, muito talento. Seu epitáfio diz uma letra de música que ela compôs: "aqui nasci sorri chorei vivi sofri amei". Na lápide próxima a dela, tinha um outro epitáfio escrito: "sorri, chorei, amei e vivi". Tanto talento que se espalha mesmo 30 anos após sua morte.

2 comentários:

.H.deLata. disse...

seus últimos textos estão muito parecidos com os meus, no sentido de pontuação. Consegui ler os textos numa única sintonia, numa única respiração. Bom?

Alice, in hopes of finding that damn rabbit disse...

não sei se isso é bom... pode ser para você, pois acho que você passa a se identificar mais com os meus textos, se eles são feitos de maneira similar aos seus. Agora, isso pode ser ruim, se ninguém mais acha o "nosso" estilo interessante.... hahahaha

olha, minha mãe adorou! hahahaha... tá, minha mãe é muito suspeita...