Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

21 de junho de 2009

Afecção


Vejo luzes que nunca estão e confundo sempre claridade e escuridão. Luzes negras são sempre perfeitas e me atraem para as mais belas e prazerosas viagens. Entro no fogo e explodo meus pavores. Sem que ninguém saiba, descarrego e grito tudo que não digo.

Ando mais triste que um café gelado, mais solitário que o último cigarro, mais neurastênico que Schopenhauer. Intangível pelas belezas, sou eu cambaleando pela eternidade punitória. Um inseto atraído pela luz, caindo trêmulo pelo breu ininterrupto em direção ao meu próprio vazio decadente.

Questiono o que me tornou tão distante e só, a afecção que me tornou parte morta de algo que já morreu. Não é dor, mas sofrimento. Não é a sombra devoradora, mas pura desolação. Poderia ser propósito, mas era ódio. Imaginei ser a tristeza que partia, mas era a escuridão instalada e duradoura.

A luz brilha na escuridão. E a escuridão nunca vai entender isso.

2 comentários:

Au Revoir disse...

"A luz brilha na escuridão. E a escuridão nunca vai entender isso."

Que final!
*-*

José Gabriel Navarro disse...

"A lição sabemos de cor / só nos resta aprender..." - Beto Guedes e Ronaldo Bastos