Sejam bem-vindos ao outro lado do espelho, onde tudo pode acontecer (e acontece).

Wonderlando é um blog sobre textos diversos, descobrimentos e crescimento. A filosofia gira em torno do acaso, misturando fantasia e realidade de dois amigos que se conheceram também por acaso, Alice - que tem um país só seu -, e Yuri - chapeleiro e maluco nas horas vagas.

Leia, comente e volte sempre... Ou faça como a gente e não saia nunca mais.

28 de fevereiro de 2009

Engano


Uma borboleta cinza cruzou nossa distância e desviou sua atenção. Pousou em seu vestido preto de voal como se fosse parte dele. Uma parte viva. Tínhamos acabado de sair de uma festa. Mais uma dessas que eu odeio e você adora. Mas não me importo em te acompanhar, contanto que te veja feliz. Contanto que você venha sorrindo ao meu encontro para dizer com a sua voz rouca o quanto está feliz. E como você estava bonita essa noite, cabelos negros presos num rabo de cavalo, maquiagem escura nos olhos delineando sedução, os lábios cereja combinando com as unhas vinho, com um belo decote e as coxas de fora sem vulgaridade, mas chamando atenção. Impossível te ignorar. Eu te seguro, mas não te mantenho. A borboleta se desprendeu e voou. Assim como você estava prestes a fazer.

Pena sermos de lugares tão diferentes e você não me ver como futuro. Pena tudo ser passageiro e você ter que voltar de onde veio, além de meus sonhos... Meu amor masoquista, que foge do alcance para crer no impossível. Como eu queria ser seu e que você me permitisse saber o que se passa em sua cabeça. Coisas que você nunca conta, sempre tão calada. Enquanto eu... É só o que tenho. Enquanto eu me desdobro em palavras, você nem precisa abrir a boca pra encantar.


Pelo menos escreva para mim como eu faço disciplinadamente. Eu mereço mais do que sua imagem de Afrodite. Mereço seus pensamentos. Depois de tudo que vivemos você simplesmente se vai, assim, sem explicação, como sempre fez? Dessa vez não. Eu quero você exposta a algo que não domina. Quero sua vergonha e te quero agora! Vá embora sabendo disso. Mereço saber o que diz o seu coração.

Então ela chegou bem perto e fechou meus olhos, encostou seu busto ao meu e disse baixinho ao pé do ouvido: "Então ouve seu engano. Ele só diz coisas a você, porque tens minha razão e meu amor. Eu te amo." E ficou.

2 comentários:

Alice disse...

neste tipo de texto, você sempre se supera.

Au Revoir disse...

O segundo parágrafo, gostaria de ter escrito!
Desculpe, não tenho garantias, na verdade não tenho nem uma moeda no momento, vai ter que se arriscar marujo, esse meu barco tá meio furado, meio capenga, mas acho que aguenta por um tempo...